Após falar com Lula, Maduro diz que Guiana terá que “sentar e conversar” sobre Essequibo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Em um post na rede social X (antigo Twitter), o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que a Guiana e a ExxonMobil “terão que sentar e conversar conosco”. “De coração e alma, queremos paz e compreensão para garantir, tudo! Deixe o mundo ouvi-lo, com o Acordo de Genebra, tudo!”, escreveu o líder venezuelano.

A manifestação de Maduro ocorreu logo após seu telefonema ao presidente Lula (PT), na manhã deste sábado (9). De acordo com o Planalto, Lula externou a “crescente preocupação” de países da América do Sul com a disputa entre a Venezuela e a Guiana em torno da região de Essequibo, conflito que tem aumentado a tensão entre os dois países vizinhos do Brasil.

No dia 3 de dezembro, Maduro anunciou vitória em um plebiscito no qual os venezuelanos votaram de forma majoritária a favor da anexação de Essequibo, um território que pertence à Guiana, mas é disputado pelos dois países.

O ditador da Venezuela determinou que a estatal PDVSA distribuísse licenças para exploração de petróleo na região e ordenou que a Assembleia Nacional aprovasse uma lei para criar o Estado de Guiana Essequiba, sob o domínio venezuelano.

A empresa de petróleo ExxonMobil, dos Estados Unidos, é uma das maiores do mundo e extrai petróleo na Guiana.

Veja também: