Auditor do TCM vai integrar Conselho de Auditores da ONU

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

O auditor de controle externo do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, Vitor Maciel dos Santos, de 44 anos, foi selecionado para integrar a equipe de técnicos brasileiros que irão compor o Conselho de Auditores da Organização das Nações Unidas (ONU). A indicação foi feita pelo Tribunal de Contas da União, que coordenará os trabalhos, e que selecionou oito auditores dos 32 tribunais de contas estaduais e municipais que vão compor o seleto grupo. Vitor Maciel será o único representante das cortes de contas da região Nordeste do país.

O “Board of Auditors”, como é conhecido em inglês, é responsável por realizar a auditoria externa das finanças de todos os organismos da ONU, de seus fundos, programas e missões de paz – e faz recomendações para aprimorar a governança e a gestão dos recursos. O Brasil foi eleito no ano passado para compor o conselho, e a Lei nº 14.804/2024 autorizou a participação de auditores estaduais, municipais e do Distrito Federal para atuar nas fiscalizações das despesas da ONU, mediante acordo de cooperação. Os auditores que compõem a equipe brasileira irão atuar junto ao conselho pelo período de um ano.

A indicação de Vitor Maciel para compor a equipe foi comunicada ao presidente do TCM, conselheiro Francisco de Souza Andrade Netto na última terça-feira (27/02), quando o presidente do TCU, ministro Bruno Dantas informou à Atricon – Associação dos Membros dos Tribunais de Contas, a conclusão do processo seletivo. A relação dos auditores dos tribunais estaduais e municipais contemplados é a seguinte: Adriana Fernandes Salgado (TCM-RJ); Carlos Alberto Cascão Júnior (TC-DF); Carolina Oliveira da Silva (TCE-GO); Jorge Pinto de Carvalho Júnior (TCM-SP); Juliana Medeiros das Neves (TCE-SC); Larissa Fidelis (TCM-PA); Lorena Oliveira de Sousa (TCE-MG) e Vitor Maciel dos Santos (TCM-BA).

O presidente do TCM, conselheiro Francisco Netto, afirmou que a seleção de Vitor Maciel para compor o “Board of Auditors” da ONU, é motivo de alegria e orgulho para todos os integrantes dos órgãos de controle externo da Bahia. Disse ainda que a nomeação vem coroar um processo de qualificação e especialização dos quadros técnicos do TCM implementado há mais de dez anos, e que permitiu ao TCM, no período da presidência do conselheiro Plínio Carneiro Filho, se qualificar para auditar e fiscalizar projetos cofinanciados por organismos internacionais, como o Bird e o Banco Mundial.

O conselheiro afirmou que o TCM tem renovado o seu quadro técnico e investido em cursos de qualificação. Como exemplo, citou que, em contrapartida ao trabalho de fiscalização e auditoria do projeto “Salvador Social”, desenvolvido pela Prefeitura de Salvador, “o Banco Mundial está investindo (de 2020 a 2024) uma soma superior a R$2 milhões em consultorias e treinamentos do corpo técnico do nosso tribunal. E também na produção de material informativo técnico e na cessão de equipamentos de informática”.

Segundo o presidente Francisco Netto, todo este esforço, com o objetivo de dar excelência ao corpo técnico do TCM – com qualificação, especialização e atualização sobre as melhores técnicas de auditorias – com base em princípios e normas reconhecidas e aplicadas internacionalmente, é agora referendado, com a indicação do auditor Vitor Maciel, que hoje está à frente da 3ª Diretoria de Controle Externo, para o Conselho de Auditores da ONU.

Títulos

O auditor de controle externo Vitor Maciel dos Santos é servidor do TCM desde 2006, quando foi nomeado após concurso público de provas e títulos. É professor titular da Universidade Federal da Bahia na Faculdade de Ciências Contáveis. Bacharel em Ciências Contáveis e Direito, pela Faculdade Visconde Cairu e pela Universidade Católica de Salvador, é mestre em Contabilidade e Gestão Pública e especialista em Auditoria Governamental.

Vitor Maciel disse ter ficado muito feliz com a convocação para compor o Conselho de Auditores da ONU, e afirmou que os méritos devem ser repartidos, “porque fruto de uma construção coletiva, de um processo de formação e engrandecimento de todo o corpo técnico do TCM. A aprovação do meu nome referenda a excelência dos quadros do TCM e também dos órgãos de controle do Nordeste brasileiro”, disse.

Quanto às expectativas do trabalho, disse que espera contribuir com a ONU para o fortalecimento da organização, especialmente no cumprimento de sua missão humanitária e de defesa das populações mais pobres do mundo. Isto atuando na fiscalização e auditorias das contas, de modo que os recursos da organização sejam bem aplicados e que impactem na qualidade de vida das populações que sofrem com a fome, obrigadas à migração ou afetadas pelas guerras.

Veja também: