Bolsonaro chama TSE de tribunal de esquerda às vésperas de novo julgamento

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta sexta (6) em Belo Horizonte que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) faz julgamentos políticos e de esquerda.

Na próxima semana, Bolsonaro será julgado pelo TSE se atuou de forma legal ou não ao se apresentar como candidato à reeleição nas lives em que transmitia do Alvorada, a residência oficial da Presidência da República. Ele também será julgado se usou o Alvorada ilegalmente em outros atos de campanha.

“Querem me processar por fazer live no Alvorada. Foi minha casa quando eu era presidente. O atual mandatário faz live lá. Com uma diferença enorme, né? Ele fala para os passarinhos. Eu falo para multidões”, afirmou, em referência ao atual presidente Lula (PT).

“Não sei o que vai acontecer. O TSE é um julgamento muito político, de esquerda, que tem acontecido lá. Isso é ruim para a democracia” acrescentou sobre o tribunal que tem no comando o ministro Alexandre de Moraes, tido como o principal algoz bolsonarista no Judiciário.

Em junho passado, Bolsonaro foi declarado inelegível por oito anos pelo TSE após mentiras e ataques ao sistema eleitoral durante o seu mandato. O ex-presidente, que tem 68 anos, somente estará apto a se candidatar novamente em 2030, aos 75 anos de idade, ficando afastado portanto de três eleições até lá (sendo uma delas a nacional de 2026).
Nesta sexta, em Belo Horizonte, o ex-presidente disse ainda que Lula não esquece dele. “Continua me culpando por tudo o que acontece de errado”, afirmou.

O ex-presidente chegou a Belo Horizonte pela manhã e disse que vai começar a fazer política no Brasil. No aeroporto foi recebido por motoristas de aplicativos da região.

Bolsonaro passará o fim de semana na capital mineira. Nesta sexta-feira, além de almoçar com correligionários, também foi a um culto de igreja do pai do deputado federal Nikolas Ferreira.

Neste sábado (7), pela manhã, ele se encontrará com o governador Romeu Zema (Novo). Sua mulher, Michelle Bolsonaro, participa de reunião do PL Mulher. No domingo (8), os dois participam de uma passeata contra o aborto.
A cidade amanheceu nesta sexta com várias faixas contra Bolsonaro colocadas em viadutos da cidade ao longo de trajetos por onde o ex-presidente poderá passar. As faixas tinham frases como “Bolsonaro é o Satanás” e “Bolsonaro em BH. Attenzione Pickpocket” em alusão ao caso de uma italiana que viralizou alertando turistas sobre a presença de batedores de carteira.

Um cartaz com a foto do ex-presidente com grades à sua frente e a frase “sem perdão, Bolsonaro e seus golpistas” foi colocado em um poste em frente à igreja onde Bolsonaro iria.

No templo, o ex-presidente disse aos fiéis que, enquanto esteve na Presidência da República, não se falava em levar adiante propostas como aborto e legalização da maconha.

“Temos que lutar para que essas coisas se afastem de nós. Queremos ter harmonia para ter ordem e progresso. Enquanto não morrer estou pronto para qualquer outra missão, afirmou.

Em frente ao templo, um pequeno grupo de apoiadores de Lula fez um protesto contra Bolsonaro. Uma apoiadora do ex-presidente retirou das mãos de um dos manifestantes cartaz que chamava Bolsonaro de fascista. A polícia chegou, e houve dispersão dos grupos.

Leonardo Augusto / Folhapress

Veja também: