Bolsonaro lidera cenários sem Lula, mas perde para ex-presidente. Governo Temer atinge 84% de reprovção

O Instituto Paraná Pesquisas divulgou nesta terça-feira (31) três cenários com nomes diferentes do PT para a presidência. Tanto na simulação com Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, como com o ex-governador da Bahia Jaques Wagner sendo candidatos do PT, Jair Bolsonaro (PSL) lidera, mas perde a dianteira quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece no levantamento.

Na primeira simulação (com Haddad), ele aparece com 23,6% das intenções de voto. Na segunda (com Jaques Wagner), Bolsonaro tem 23,5% da intenção de voto. Os petistas teriam 2,8% dos votos. Com Lula, se a eleição fosse hoje, o ex-presidente teria 29% dos votos, contra 21,8% de Bolsonaro. Os demais candidatos teriam menos de 10% das intenções de voto cada.

Ainda sem Lula, Bolsonaro iria para o segundo turno ou com Marina Silva (Rede) ou com Ciro Gomes (PDT), que estão tecnicamente empatados, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais. A pesquisa mostra a candidata da Rede com 14,4% dos votos no cenário com Haddad e 14,3% na simulação com Jaques Wagner. Já Ciro tem 10,7% no cenário com Haddad e 10,8% na simulação com Wagner.

Mais da metade afirmou que “não votaria de jeito nenhum” em sete candidatos: Lula (54,1%), Jair Bolsonaro (54,3%), Marina Silva (55,2%), Ciro Gomes (58,9%), o candidato do PSDB Geraldo Alckmin(63,3%), Fernando Haddad (67%) e Henrique Meirelles (62,3%), ex-ministro da Fazenda e candidato do MDB.

A pesquisa foi realizada com 2.240 eleitores em 170 municípios. Registro no TSE: BR-00884/2018. Margem de erro: 2 pontos percentuais. Confiança: 95%.

Governo Temer é desaprovado por 87,4% dos eleitores brasileiros

O governo do presidente Michel Temer (MDB) é desaprovado por 87,4% dos eleitores brasileiros, de acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira (31) pelo Instituto Paraná Pesquisas. Apenas 9,1% aprovam a administração, enquanto 3,6% não sabem ou não opinaram.

O detalhamento da pesquisa aponta que 61,8% consideram o governo péssimo e outros 16,3% avaliam como ruim. Para 16,2%, a administração é regular. Por outro lado, 3,9% dos eleitores dizem que o governo é bom, enquanto 0,6% o classificam como ótimo. Do total de entrevistados, 1,3% não sabem ou não opinaram.

O levantamento ouviu 2.240 eleitores em 170 municípios de 26 estados e Distrito Federal, entre os dias 25 e 30 de julho. Com margem de erro de 2% e grau de confiança de 95%, a pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o nº BR-00884/2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *