Ciro Gomes diz que torce para que Lula seja declarado inocente

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Pré-candidato à presidência da República, o ex-ministro Ciro Gomes afirmou, neste domingo (21), que torce para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja declarado inocente contra a sentença que o condenou na primeira instância. Nesta quarta-feira (24), a apelação de Lula será julgada em segunda instância no 4º Tribunal Regional Federal (TRF-4), em Porto Alegre. O ex-presidente foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz federal Sérgio Moro, devido ao caso do triplex de Guarujá. As acusações eram de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ciro, que é filiado ao PDT, usou sua página no Facebook para declarar que não “vislumbra” culpa no ex-presidente Lula. Ele afirmou que o Judiciário brasileiro tem “graves defeitos”, mas diz que não acredita que este poder faça parte de uma conspiração política.

“É definitivamente constrangedor e inexplicável que nenhum quadro relevante do PSDB esteja preso apesar de fartas e robustas evidências de seu orgânico e ancestral envolvimento em corrupção. Mas não é irrelevante que estejam presos quadros centrais do PMDB como Eduardo Cunha, Gedel Vieira Lima ou Henrique Alves. E que o próprio presidente Michel Temer tenha sido chamado pela Justiça a responder por seus atos de corrupção, embora impedida, a mesma justiça, de prosseguir na apuração, pelo poder político subornado”, escreveu, na rede social.

Embora aponte que a Justiça brasileira tem “graves problemas”, o ex-ministro defende que o Judiciário merece o respeito institucional da nação; sem isso, ele acredita que existirá baderna, anarquia e violência.

“Que o Tribunal Regional de Porto Alegre compreenda a transcendência de sua decisão! Que, independentemente de pressões legítimas ou espúrias, afirme a JUSTIÇA! Que tenha a força moral de afirmar a inocência de Lula no processo em questão, se como eu, não vislumbrar clara sua culpa. Que dê evidências incontestáveis de sua culpa, caso assim entenda, de maneira que a qualquer do povo não reste duvidas e, assim, possa a Nação afirmar como o injustiçado alemão: há juizes em Berlim. E, apesar de tudo, também no nosso sofrido Brasil”, completou o ex-ministro.

Confira o texto, na íntegra: 

Veja também: