Deputado Robinson Almeida diz que a construção da Ponte Salvador-Itaparica trará um novo ciclo de desenvolvimento no recôncavo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O deputado estadual Robinson Almeida (PT), vice-líder do governo do estado na Assembleia Legislativa da Bahia, afirmou, neste último sábado (16), durante encontro com lideranças do PT do Recôncavo e do Vale do Jiquiriçá, em Santo Antônio de Jesus, que a construção da ponte Salvador x Itaparica trará um novo e importe ciclo de desenvolvimento para a região do estado.

O parlamentar ressaltou ainda que o equipamento irá consolidar a integração da capital, como no período colonial, tanto com o Recôncavo Baiano como a região sul do estado, gerando novas oportunidades econômicas para a população baiana. Só na fase de construção, a previsão é que as obras gerem até oito mil empregos, destaca o parlamentar.

“A maior obra de engenharia do Brasil vai acontecer na Bahia, ainda esse ano. A construção da ponte Salvador-Itaparica é o início de um novo ciclo no desenvolvimento pra nosso estado, com repercussão intensa nos territórios do recôncavo, Baixo Sul, Vale do Jiquiriçá e Litoral Sul”, afirmou Robinson Almeida, que também esteve em Dom Macedo Costa para entregar equipamentos odontológicos para fortalecer a assistência à saúde da população daquele município.

O projeto de construção da Ponte Salvador x Itaparica tem previsão para ser iniciado em novembro. Em setembro já foi iniciado o processo de sondagem para levantar informações sobre a salinidade e a profundidade da Baía de Todos os Santos.

No início de outubro, o governador Rui Costa decretou que terrenos em Salvador e Vera Cruz fossem desapropriados para a construção do equipamento. A obra, que possui prazo de execução de quatro anos, já é considerada a maior e mais importante intervenção de infraestrutura tocada no Brasil.

A ponte Salvador-Itaparica terá 12,4 quilômetros de extensão e terá investimento de R$ 5,4 bilhões. O equipamento será construído através de Parceria Público-Privada (PPP), envolvendo o consórcio vencedor da licitação, formado pelas empresas China Communications Construction Company (CCCC Ltd), CCCC South America Regional Company (CCCCSA) e China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR20), com participação do Governo do Estado.

Veja também: