Desembargador que divulgou fake news sobre Lula e CV será julgado

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

O desembargador Marcelo Lima Buhatem, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), será julgado na próxima terça-feira, 31, pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), em um inquérito aberto após ele ter publicado notícias falsas nas redes sociais que associam o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Comando Vermelho (CV), facção criminosa envolvida no tráfico de drogas.
Em meio às eleições de 2022, o desembargador carioca compartilhou nas redes sociais que “Lula é convidado de honra do Comando Vermelho”, conforme informações do portal Metrópoles. Por causa disso, em outubro de 2022, o ministro Luís Felipe Salomão, corregedor-geral de Justiça, determinou a suspensão das contas de Buhatem na internet.

Agora, a partir do julgamento de terça no CNJ, Buhatem pode ser afastado do cargo de desembargador do TJ-RJ e, posteriormente, ser aposentado compulsoriamente.
O magistrado é tido como um apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Em 2021, ele, de férias, chegou a aparecer em fotos da comitiva presidencial bolsonarista em uma viagem a Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Na decisão que abriu a investigação contra Buhatem, o ministro Salomão defendeu o distanciamento entre magistrados e a política partidária, garantindo assim a credibilidade da Justiça frente à população brasileira.

“A conduta individual do magistrado com conteúdo político-partidário arruína a confiança da sociedade em relação à credibilidade, à legitimidade e à respeitabilidade da atuação da Justiça, atingindo o próprio Estado de Direito que a Constituição objetiva resguardar”, criticou Salomão.

Veja também: