Eleições Coren-Ba: Após derrota, comissão eleitoral é pressionada a fazer manobra jurídica e presidente da comissão eleitoral pede desligamento

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Inconformada com a derrota no último dia 01 de outubro, quando ocorreu as eleições do Coren-Ba, a atual gestão da entidade vem tentando usar manobras jurídicas através da comissão eleitoral do órgão para anular a eleição. Na última quinta-feira (05) a presidente da comissão eleitoral, Ayonara Lopes Caribé pediu desligamento do cargo alegando sofrer pressão e até ameaças aos seus familiares. “Derrubamos uma chapa eleita democraticamente por fatos alegados e se quer investigados, ao meu ver, sem proporcionalidade para colidir com a força do Sufrágio, pilar da nossa democracia. Eu e uma colega da comissão reconsideramos nossa decisão e encaminhei e-mail aos integrantes do COREN, solicitando publicação da reconsideração, e ao COFEM pela ciência. Diante disso, e entendendo que nossa missão foi cumprida, venho renunciar ao cargo de Presidente da Comissão Eleitoral 2023 do Coren-Ba”, afirmou em carta Ayonara Caribé. Confira carta de demissão da presidente da comissão eleitoral;

Veja também: