Estudante relata agressão de advogado durante festa em Salvador

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

A estudante de Direito Crislaine Emily Santos de Oliveira, 26, relata ter sido vítima de violência durante uma festa no Centro de Convenções, na Boca do Rio, na madrugada de quinta-feira (21). A jovem, que também é modelo, acusa o advogado Raul Hernandes Gerin, 31, pelo crime. Após o ocorrido, o suspeito foi encaminhado por uma guarnição da Polícia Militar à Central de Flagrantes. Emily foi agredida com um soco, bateu a cabeça ao cair no chão e precisou levar dez pontos no rosto.

O crime ocorreu quando a jovem foi até a casa de eventos por volta de 4h30 para buscar uma amiga que mora no mesmo apartamento que ela, no bairro do Imbuí. Segundo o relato do seu advogado, Otto Lopes, ao chegar no local, Emily teve os cabelos puxados e, logo depois, foi surpreendida por um soco no rosto, que a fez cair no chão e perder a consciência. Ela não conhecia o autor da violência.

Depois de ficar alguns minutos desmaiada, Emily acordou enquanto estava recebendo atendimentos dentro de uma unidade do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Em seguida, a vítima foi levada à Central de Flagrantes por pessoas responsáveis pela festa, de acordo com o advogado. Já Raul Hernandes foi conduzido por uma guarnição da 39ª CIPM.

A Ordem dos Advogados do Brasil secção Bahia (OAB-BA) confirmou que dois advogados da Comissão de Direitos e Prerrogativas o acompanharam na delegacia. No local, Raul Hernandes ainda teria desferido ofensas e ameaças à vítima.

“Lá [na Central de Flagrantes] ele continuou me ameaçando e me inflamando. Em um determinado momento eu reagi verbalmente e um amigo dele começou a me filmar. Ele ficava me provocando dizendo para eu agredi-lo e eu lembro com muita exatidão de ter falado que eu não era como ele”, relata Emily. Após a confusão, ela foi levada para o carro de um conhecido e ficou esperando seu advogado chegar no local, o que aconteceu por volta de 6h.

Ambos deram depoimentos na delegacia e um boletim de ocorrência foi registrado. “Os dois foram ouvidos na Central de Flagrantes, ela como vítima e ele como autor. A delegada entendeu que deveria lavrar um Termo Circunstanciado de Ocorrência e aguardar a chegada do laudo pericial”, explica Otto Lopes. O advogado Raul Hernandes foi liberado logo em seguida.

Ainda na quinta-feira (21) durante a noite, o advogado de Emily teve acesso ao resultado do exame de corpo de delito. O documento indica que ela fique afastada de suas funções por mais de 30 dias, o que tipifica a agressão como lesão grave.

Correio

Veja também: