Ex-prefeitos presos por corrupção protagonizam encontro em apoio a Jerônimo

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

De acordo com a matéria publicada no jornal Correio desta segunda-feira (30) dois ex-prefeitos que foram presos por suspeita de envolvimento em esquemas de corrupção no Recôncavo comandaram, no último domingo (29), um evento em apoio ao PT e ao candidato do partido ao governo baiano, Jerônimo Rodrigues. O encontro, realizado em Feira de Santana, foi organizado pelo petista Ricardo Machado, acusado de integrar uma organização criminosa especializada em desviar verbas públicas quando esteve à frente da prefeitura de Santo Amaro, de 2013 a 2016.

Alvo da Operação Adsumus, deflagrada pelo Ministério Público do Estado (MP) há cerca de cinco anos, Machado foi preso pela primeira vez em dezembro de 2017, mas acabou solto sete dias depois por ordem da Justiça. Em maio de 2018, o ex-prefeito teve a segunda prisão decretada e ficou cerca de seis meses em uma cela do Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador.

Segundo o MP, o petista teria desviado pelo menos R$ 20 milhões, por meio de licitações fraudulentas e contratos superfaturados com empresas ligadas ao esquema que operou em municípios do Recôncavo. Apesar dos desgastes causados pela investigação da Adsumus, conseguiu eleger a mulher, Alessandra Gomes (PSD), prefeita de Santo Amaro em 2020. Recentemente, Machado lançou sua pré-candidatura a deputado estadual.

Ex-prefeito de Muritiba de 2013 a 2016, Roque Isquem também teve papel de destaque no encontro em apoio a Machado e a Jerônimo. Alvo de um desdobramento da Adsumus, Isquem foi condenado, em outubro de 2018, a 11 anos e 4 meses de reclusão em regime fechado, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. À época, ele estava preso preventivamente há quase dez meses. Em setembro de 2019, Isquem recebeu autorização da Justiça para recorrer em liberdade, sob monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Fonte: Correio 24 horas

Foto: Reprodução redes socias

Veja também: