Fruticultura baiana se destaca no cenário nacional e movimenta R$ 1.3 bilhão em exportações

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

A Bahia se destaca na fruticultura nacional com polos consolidados para exportação e altos índices de produtividade nas áreas irrigadas, sobretudo na região norte. Em 2023, as exportações de frutas baianas superaram US$ 253.649.932, gerando um fluxo financeiro de aproximadamente R$ 1,3 bilhão. Os principais mercados para os produtos baianos foram a União Europeia, com US$ 151.699.938 (59,81% do total exportado), Estados Unidos, com US$ 63.990.608 (23%), e Reino Unido, com US$ 24.253.157 (9,56%).

A expansão da fruticultura na Bahia é impulsionada pelo clima favorável, áreas disponíveis para irrigação e a possibilidade de obtenção de duas ou mais safras por ano. Além das frutas tropicais, como uva e manga, a altitude da Chapada Diamantina tem atraído produtores para o cultivo de frutas de clima temperado, como ameixa, morango, caqui e uva para produção de vinhos finos.

Em 2023, a Bahia representou 19% da exportação nacional de frutas, superando em 55% o valor exportado em 2022. As frutas frescas da Bahia mais vendidas no exterior em 2023 foram mangas, com US$ 155.456.654 (61% do total de frutas exportadas), seguidas de uvas, com US$ 54.184.142 (23,36%), limões e limas, com US$ 36.525.672 (14,4%), e mamões (papaia), com US$ 5.778.373 (2,27%).

Veja também: