Glenn Greenwald e David Miranda foram espionados pela Abin na gestão Bolsonaro

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

A lista completa das vítimas de espionagem irregular durante o governo de Jair Bolsonaro através de um software de rastreamento de celulares ainda não foi divulgada, mas a Polícia Federal identificou recentemente mais duas figuras públicas que foram alvo desse monitoramento: o jornalista Glenn Greenwald e seu falecido marido, o deputado federal pelo PDT do Rio de Janeiro, David Miranda, que veio a óbito em maio passado. A informação é de Malu Gaspar, do jornal “O Globo”.

Segundo informações provenientes de fontes da PF, os telefones de ambos constam na relação de 1.800 números entregue pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) ao Supremo Tribunal Federal (STF), seguindo a determinação do ministro Alexandre de Moraes.

Além de Greenwald e Miranda, a lista de alvos inclui jornalistas, advogados, outros políticos e diversos opositores políticos do governo Bolsonaro durante o período de 2019 a 2021, quando a gestão estava sob Alexandre Ramagem, que atualmente ocupa o cargo de deputado federal pelo PL no Rio de Janeiro. Essas revelações aumentam a preocupação sobre o uso indevido de tecnologias de espionagem e a proteção dos direitos individuais e da privacidade em um contexto político sensível.

Veja também: