Mauro Cid detalhou minuta golpista, mas poupou Bolsonaro, avalia PF

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

O ex-ajudante de ordens Mauro Cid omitiu em depoimentos à Polícia Federal informação que Jair Bolsonaro teria planejado dar um golpe de Estado para se manter no poder. A informação é da CNN.

Segundo apurou a emissora, o militar reconheceu que foram promovidas reuniões nas quais se discutiram “minutas golpistas”, mas não mencionou se o ex-presidente cogitava levar um plano adiante.

Bolsonaro é investigado em inquérito que apura se pretendia decretar estado de sítio ou de defesa para impedir que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assumisse o poder.

Cid tem novo depoimento marcado para esta segunda-feira (11). A expectativa é de que seja questionado sobre mensagens trocadas com militares e reuniões sobre as “minutas golpistas”.

“O Cid nunca falou isso. Não procede”, afirmou o advogado.
A expectativa da defesa do militar é de que seja um depoimento tranquilo. O ex-ajudante de ordens deve ser chamado novamente após comitiva da força policial ir aos Estados Unidos.

O grupo policial planeja viajar até abril, na tentativa de obter novas provas sobre a venda de presentes da Presidência da República no exterior.

Veja também: