Mostra que homenageia Dona Dalva, de Cachoeira, fica aberta até 21 de outubro

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Até 21 de outubro estará aberta no Centro de Artes da Universidade Federal do Recôncavo (CAHL/UFRB), em Cachoeira, a mostra fotográfica e de mídias ‘Dona Dalva e sete memórias: 90 anos de vida e resistência’. A mostra integra as comemorações pelos 90 anos de D. Dalva Damiana, conhecida e respeitada sambadeira e promotora do samba de roda do Recôncavo da Bahia. A mostra foi aberta nesta terça-feira (26) pela manhã. Dona Dalva Damiana é fundadora do Samba de Roda Suerdieck (Cachoeira) e uma das responsáveis pelo reconhecimento do Samba de Roda como Patrimônio Imaterial do Brasil.

Na quarta-feira (27), que é o aniversário de D. Dalva, acontece no mesmo local, o seminário ‘90 anos: vida e obra de D. Dalva’. O evento conta com pesquisadores da UFRB e outras instituições com pesquisas acadêmicas sobre a aniversariante. “Para nós, da área do Patrimônio Cultural, é uma honra participarmos dessa comemoração; a cultura é feita e perpetuada por pessoas como D. Dalva que dedicou a vida a manifestações que trazem a riqueza identitária da Bahia e do Brasil”, destaca o diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), João Carlos de Oliveira. Encerrando as festividades, ocorrerá missa em ação de graças na Igreja Matriz do Rosário de Cachoeira. Às 19h30, samba de roda e o tradicional caruru na Casa de Samba de D. Dalva.

Todos os eventos contam com a parceria do Ipac, Fundação Pedro Calmon, Identidade Brasil, NUDOC, Centro de Memória da Bahia, Pró-reitoria de Extensão/UFRB, Quanta Comunicação e Leite & Alves. A entrada é sempre gratuita. Depois de anos de atuação, a mulher, mãe, avó, ex-trabalhadora da indústria do fumo, sambadeira, compositora e cantora teve seu reconhecimento, ao ganhar o primeiro título de doutora honoris causa concedido pela UFRB.

Fonte: Ascom/ Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac)

Veja também: