Oposição apresenta pedido de cassação de Lúcio Vieira Lima no Conselho de Ética

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O PSOL e a Rede, partidos de oposição, apresentaram na manhã desta quinta-feita (7) uma representação ao Conselho de Ética em que pedem a cassação do mandato do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), sob alegação de quebra de decoro do parlamentar.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal na última terça-feira (5) o recolhimento noturno e nos dias de folga de Lúcio, além da prisão domiciliar da mãe dele e do ex-ministro Geddel Vieira Lima, Marluce Vieira Lima.

A PGR pedia ainda que o relator do caso no STF, ministro Edson Fachin, estabelecesse o uso de tornozeleira eletrônica para os dois e que eles paguem fiança no valor de 400 salários mínimos, cerca de R$ 375 mil, cada um. As solicitações não foram atendidas, exceto o bloqueio de cerca de R$ 13 milhões dos bens da família.

Os três foram denunciados por associação criminosa e lavagem de dinheiro com base no caso do bunker em Salvador onde foram encontrados R$ 51 milhões, atribuídos a Geddel.

Veja também: