Pastor pede propina em ouro para liberar verba do MEC, diz prefeito

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

O pastor Arilton Moura, um dos líderes evangélicos que negociam transferências de recursos do Governo Federal para prefeituras, pediu como propina 1 kg de ouro para conseguir liberar os recursos de obras de educação do município de Luís Domingues, do Maranhão.
O prefeito da cidade, Gilberto Braga (PSDB), revelou para o jornal O Estado de S. Paulo, que o pedido foi feito na mesa de um restaurante em Brasília na presença de outros políticos.
Arilton e o também pastor Gilmar Santos têm negociado liberações de recursos federais para municípios mesmo não tendo cargos no governo. O jornal Folha de S. Paulo revelou nesta segunda-feira (21) áudio em que o ministro da Educação, pastor Milton Ribeiro, afirma que o governo prioriza prefeituras cujos pedidos de liberação de verba foram negociados pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura.
O ministro diz ainda que isso atende a uma solicitação do presidente Jair Bolsonaro (PL) e menciona pedidos de apoio que seriam supostamente direcionados para construção de igrejas.

Veja também: