‘Prefeito não tem hospital municipal’, diz Jerônimo após críticas sobre regulação

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Alvo de críticas por políticos oposicionistas, o sistema de regulação segue sendo um dos pontos sensíveis do governo baiano. Em resposta, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) criticou a falta de hospitais municipais nas cidades baianas e garantiu que deve zerar a quantidade de pacientes do sistema ainda neste ano.

“O prefeito não tem um hospital municipal. […]. Não temos UPA em Camaçari. Salvador manda tudo para os hospitais do Estado. Até uma dor de barriga. […]. Eu não quero ninguém na porta dos hospitais, bota na maca, na cama ou na cadeira. […]. Eu não vou ficar fugindo disso. Então, a regulação, a minha crença e o nosso trabalho é que a gente possa vê esses órgãos nossos funcionando no interior para a gente estabilizar a nossa oferta de alguns tipos de serviço”, disse o gestor estadual.

E acrescentou: “vocês sabem que são 200 casos de ortopedia diário, que demanda da regulação ou atendimento, como hospital ortopédico, eu tenho certeza que a gente vai zerar isso neste ano ainda ou no início do ano que vem. Até porque a ortopedia demanda mais tempo do paciente dentro de um leito hospitalar”.
O chefe do Palácio de Ondina ainda afirmou que o tema vem sendo tratado junto em parceria com o governo federal. “Estamos no caminho muito reto e seguro do que estamos fazendo. O presidente Lula e a ministra Nísia Trindade está compartilhando conosco na parte da União”.

As declarações do governador foram dadas na manhã desta terça-feira (26), durante café da manhã com jornalistas, no Centro de Operações e Inteligência da Segurança Pública (COI), sede provisória da governadoria, localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Veja também: