Santo Amaro: Péssima avaliação da prefeita Alessandra Gomes pode favorecer retorno de Flaviano

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Davi Lemos

Com o grande desgaste da atual prefeita de Santo Amaro, Alessandra Gomes (PSD), o cenário eleitoral na cidade do Recôncavo Baiano está tendendo para mais uma troca de comando entre os grupos que se alternam no controle da prefeitura local. Alessandra poderia tentar a reeleição, mas alega, segundo pessoas próximas a ela, questões pessoais para não tentar ficar mais quatro anos à frente da cidade.

A história, também segundo pessoas próximas à prefeita, pode ser pessoal, mas não é mais difícil de contornar até outubro, quando os eleitores de Santo Amaro irão às urnas: a prefeita, segundo alguns levantamentos internos, possui avaliação negativa de sua gestão de até 80%, percentual considerado de difícil reversão mesmo se Lula e Jerônimo – que continuam bem avaliados na cidade – desembarcarem na cidade e fizerem campanha para Alessandra ou para quem ela entregar apoio ou indicação.

Quem surge bem nos levantamentos internos a que o Recôncavo Online teve acesso é o ex-prefeito Flaviano Bonfim, que comandou a cidade entre 2017 e 2020. Quando foi eleito naquela oportunidade, Flaviano havia conseguido reunir a oposição contra o grupo do ex-prefeito e esposo da atual prefeita, Ricardo Machado (PT).

Neste ano, o movimento é parecido, mas em sentido contrário: toda a oposição está se unindo contra Alessandra e isso pode definir o cenário das eleições de outubro. O candidato que pode ser apoiado pelo prefeita, Leozinho da Usina, patina nas pesquisas internas e deve perder; aliados da prefeita avaliam que um apoio dele derruba qualquer candidatura. O que se ouve na cidade, é que Alessandra pode ficar como o ex-presidente Michel Temer que, nas eleições presidenciais de 2018, nem se candidatou nem anunciou apoio a nenhum candidato.

Veja também: