Trabalhadores da Acelen inalam gás químico após vazamento; cerca de 14 funcionários tiveram problemas respiratórios

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

Cerca de 30 trabalhadores da Acelen (Refinaria de Mataripe) acabaram inalando um gás químico, proveniente de um suposto vazamento que teria ocorrido após o descarregamento de hiplocorito de sódio, matéria-prima para a água sanitária, de uma carreta para um tanque, na Unidade 52. O caso aconteceu no último dia 10, mas a denúncia foi publicada nesta terça-feira (17), pelo Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro-BA).

Segundo informações do Sindipetro, a mistura do hiplocorito de alta pureza, com outro produto químico, por meio de uma contaminação cruzada, gerou um gás altamente tóxico, que foi inalado pelos funcionários, provocando problemas respiratórios em pelo menos 14 deles, que tiveram de ser encaminhados a unidades médicas da região de São Francisco do Conde. O sindicato foi informado também que um deles permaneceu internado durante quatro dias, e quatro precisaram fazer uso de oxigênio.

Além dos operadores, foram atingidos também trabalhadores que participavam de um curso de treinamento e ficaram presos na sala, tentando se proteger, porque o gás tóxico se espalhou por todo prédio, incluindo o centro de treinamento, refeitório central e área de embarque e desembarque de ônibus.

O Sindipetro Bahia pediu esclarecimento à Acelen e considerou o acidente como gravíssimo. Além disso, segundo o sindicato, o caso “não foi comunicado à entidade sindical e nem à CIPA da empresa”.

Em nota ao Bahia Notícias, a empresa reconheceu que foi identificado o vazamento e que a situação foi rapidamente contida pelo time técnico da operação, segurança e meio ambiente da refinaria.

A Acelen detalhou que as pessoas que sentiram desconforto respiratório após o incidente foram imediatamente assistidas e passam bem e ressaltou que segue reforçando medidas preventivas e de proteção para garantir os padrões de segurança no manuseio de produtos químicos.

Além disso, a instituição declarou que o Sindipetro-BA foi informado no mesmo dia da ocorrência e que a informação que as entidades não foram devidamente comunicadas não procede.

Confira o comunicado na íntegra:

A Acelen informa que identificou um vazamento de hipoclorito de sódio durante descarregamento de caminhão na madrugada do dia 10 deste mês. A situação foi rapidamente contida pelo time técnico da operação, segurança e meio ambiente da refinaria. As pessoas que sentiram desconforto respiratório após o incidente foram imediatamente assistidas e passam bem. A empresa segue reforçando medidas preventivas e de proteção para garantir os padrões de segurança no manuseio de produtos químicos.

Comunicação com a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
A Acelen esclarece que o ocorrido foi imediatamente comunicado à CIPA, que também foi convidada a participar das investigações relativas as possíveis causas do incidente, buscando estabelecer as medidas corretivas e evitar novas ocorrências.

Comunicação com o Sindipetro-BA
A Acelen também esclarece que o Sindipetro-BA foi informado no mesmo dia da ocorrência, respeitando o compromisso com a transparência e diálogo com a entidade.

Portanto, não procede a informação que as entidades não foram devidamente comunicadas.

Bahia Noticias

Veja também: