Morador de São Paulo internado com febre amarela morre em hospital de Salvador

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O homem de 49 anos, morador de Taboão da Serra, em São Paulo, e que estava internado no Hospital Couto Maia, em Salvador, com febre amarela, morreu na tarde de domingo (14). A informação foi confirmada pelo secretário de Saúde do município de Itaberaba, a cerca de 290 km da capital baiana, cidade onde homem apresentou sintomas e recebeu atendimento inicialmente.

Conforme disse o secretário, o paciente é natural de Itaberaba, mora em São Paulo, e estava na cidade baiana para visitar a família. Ele chegou ao município no dia 5 de janeiro, já com os sintomas da doença. Antes de ir para a Bahia, o rapaz havia passado réveillon em Itapecerica da Serra, também em São Paulo.

O rapaz foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itaberaba. Ele esteve no posto de saúde repetidas vezes, entre os dias 5 e 9 de janeiro, quando apresentou piora no quadro clínico e foi transferido para Salvador na última terça-feira (9). A confirmação da febre amarela foi feita na quinta-feira (11), por meio de exame feito com material do paciente, no Laboratório Central (Lacen), na capital.

Ainda segundo a Sesab, trata-se de um caso importado, já que o rapaz começou a apresentar os sintomas no dia 2 de janeiro, antes de chegar à Bahia.

Vacinação

Vacina contra a febre amarela será fracionada (Foto: Eder Ribeiro/EPTV)
Em Itaberaba continuam os esforços para fazer o bloqueio vacinal conta a doença. Nesta segunda-feira (15), a vacinação no município volta a ser feita nos 18 postos de saúde da família, no posto móvel que está no centro da cidade, no ginásio de esportes, na feira livre e na sede do núcleo regional de saúde.

A expectativa da Secretaria de Saúde é imunizar mais de 40 mil pessoas em menos de 15 dias.

O Ministério da Saúde anunciou, na última terça-feira que a Bahia vai adotar a dose fracionada da vacina contra a febre amarela em campanha a ser realizada em 8 municípios, de 19 de fevereiro, após o fim do carnaval, até 9 de março.

A meta é imunizar 3,3 milhões de pessoas. O dia 24 de fevereiro será dia D de mobilização. O mesmo procedimento será realizado nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Na Bahia, 2,5 milhões de pessoas serão vacinadas com a dose fracionada e 813 mil com a dose padrão. Os municípios baianos que receberão a vacinação são: Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Candeal, Itaparica, Mata de São João, São Francisco do Conde e Vera Cruz.

Para a campanha de fracionamento da vacina de febre amarela, o Ministério da Saúde informou que vai repassar aos estados 15 milhões de doses fracionadas e 4,7 milhões de doses padrão.

A adoção do fracionamento das vacinas, conforme o Ministério da Saúde, é uma medida preventiva que será implementada em áreas selecionadas, durante período determinado de 15 dias, pelos estados para evitar a circulação e expansão da doença.

Com a estratégia do fracionamento, uma dose que antes era aplicada em uma só pessoa será destinada para quatro. Segundo o Ministério da Saúde, uma mesma dose poderia servir para até cinco pessoas — mas o governo irá trabalhar com uma “margem de segurança”.

Conforme o Ministério, a decisão tem por base testes da Fiocruz que indicaram que uma dose de 0,1ml (a dose padrão é de 0,5 ml) garante a imunidade por oito anos.

A pasta informou, também, que a dose fracionada não será destinada a todos. Crianças de 9 meses a até 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids), gestantes e viajantes internacionais vão continuar tomando a dose padrão.

A vacinação fracionada é recomendada para pessoas a partir dos dois anos de idade. O público vacinado com a dose fracionada da vacina de febre amarela deverá retornar aos serviços de saúde após oito anos para receber uma dose de reforço.

A vacina é contraindicada para pacientes em tratamento de câncer, pessoas com imunossupressão e pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo. A vacinação contra febre amarela impede a doação de sangue por um período de quatro semanas. As pessoas devem realizar a doação de sangue antes da vacinação para manutenção dos estoques de hemocomponentes.

Sintomas

A doença se torna aparente de três a seis dias após a infecção, de acordo com o Ministério da Saúde. Os sintomas iniciais são febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maior parte das pessoas apresenta uma melhora após tais sintomas.

Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

Veja também: