Morre o cantor Agnaldo Timóteo vítima da Covid-19

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

No final da manhã deste sábado (03/04/2021) faleceu o cantor Agnaldo Timóteo, aos 84 anos, vítima da Covid19. Desde 17 de março o artista estava internado no Hospital São Bernardo, no Rio de Janeiro, onde desde o dia 27/04 precisou ser intubado.

A assessoria de imprensa do cantor divulgou uma nota confirmando seu falecimento:

“É com imenso pesar que comunicamos o FALECIMENTO do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu as complicações decorrentes do COVID-19 e faleceu hoje às 10:45 horas. Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações!”, diz o texto.

O artista havia tomado as duas doses da vacina contra a Covid19, então os médicos acreditam que ele acabou se infectando no intervalo entre a primeira e segunda dose.

O cantor Agnaldo Timóteo Pereira, ou simplesmente o Agnaldo Timóteo, nasceu na cidade de Caratinga, interior de Minas Gerais, em 16 de outubro de 1936.

Desde criança Agnaldo gostava de música, e inicialmente interpretava canções de Cauby Peixoto nas rádios de Minas Gerais, onde ficou conhecido como “Cauby mineiro”.

Em 1960 o cantor se mudou para o Rio de Janeiro, tendo sua primeira oportunidade na música como motorista da cantora Ângela Maria, onde ajudado sendo indicado em 1961 para conseguir gravar seu primeiro disco, mas precisou batalhar ainda muito para estourar.

A música passou a seguir o rumo do sucesso na vida de Timóteo com o LP “Surge um Astro”, emplacou o hit “Mamãe” (versão de “La Mamma”, de Charles Aznavour) e passou a participar do programa “Jovem Guarda”. O início da carreira foi todo focado em versões de sucessos internacionais.

Na vida política o cantor se candidatou pela primeira vez em 1982 e obteve a maior votação daquele pleito: mais de 500 mil votos. Deixou a Câmara no fim da legislatura, em janeiro de 1987, retornando à vida artística. Em 1990 voltou a se candidatar no meio político, assim como fez nos anos de 1994, 1996, 2000, 2004, 2008, até que em 2012 ao se candidatar à reeleição como vereador de São Paulo, e receber uma votação abaixo do esperado, o cantor deu um fim na carreira política e passou a se dedicar somente à música.

No dia 20 de mio de 2019 o cantor passou mal em Barreiras (BA), e acabou sendo internado com um Acidente Vascular Cerebral (AVC), onde acabou se tratando, conseguiu se recuperar.

A música hoje perdeu uma lenda, um cantor humorado, com bordões que contagiaram o mundo artístico como “É menino ou menina?”, um dos últimos que fizeram sucesso, assim como o carinho que sempre demonstrou por sua mãe e por todas do Brasil quando cantava suas músicas. Agnaldo foi mais uma derrota do mundo artístico, dentre várias recentes, para a Covid19.

Veja também: