Presidente da ABI apoia proteção aos jornalistas

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), Ernesto Marques, manifestou-se favorável à criação da Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores, lançada como forma de defender os profissionais de imprensa dos frequentes ataques.

Para Marques, “a iniciativa é de extrema importância não apenas para profissionais e empresas”, considerando inúteis as notas de repúdio, “quando os agressores, além de não ficarem constrangidos pela exposição de seus crimes, ainda se vangloriam”.

Lamentando a reprodução sistemática do que considerou “discurso de ódio”, Marques apoia o lançamento da rede, por meio do Instituto Vladimir Herzog, nome do jornalista assassinado por agentes do Estado brasileiro, no auge da ditadura militar mais recente, em 1975.

– Pessoalmente, pretendo integrar a rede e levarei para discussão na diretoria executiva, a proposta para que a ABI também faça parte e apoie o funcionamento da rede – disse o presidente Ernesto Marques.

De acordo com conteúdo divulgado pelo site Meus Sertões, um dos integrantes da rede, o trabalho resulta da articulação de jornalistas, comunicadores, entidades e coletivos de mídia em defesa da liberdade de expressão, presentes nos 26 estados e no DF.

O objetivo, além de combater as violações ao direito de informação, é acolher denúncias de ataques e de ameaças crescentes a profissionais de imprensa, considerando a subnotificação das agressões.

O site da Rede Nacional de Proteção de Jornalistas e Comunicadores vai centralizar os registros de denúncias, com acompanhamento por operadores do direito, além de armazenar conteúdos sobre proteção e segurança como cartilhas, livros, artigos e vídeos.

Fonte: Atarde
Foto: Fabio Marconi/Divulgação

Veja também: