Colbert Martins sofre derrota na Câmara municipal após rejeição ao Fundeb

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (MDB), sofreu uma relevante derrota na Câmara Municipal, com a derrubada do projeto do Executivo que pretendia regulamentar o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Professores da Educação (Fundeb). O projeto foi rejeitado com 11 votos contrários, na última quarta-feira,16.

De acordo com a matéria, o conselho deveria ser composto por 16 membros titulares, acompanhados dos respectivos suplentes, com o objetivo de apresentar ao Poder Legislativo, bem como aos órgãos de controle, manifestação formal sobre os registros contábeis dos demonstrativos do Fundo.

O presidente da Câmara do município, vereador Fernando Torres (PSD), disse que não se arrepende com a rejeição ao projeto. “Solicitei ao meu grupo que barrasse o projeto e não me arrependo. O atual prefeito, Colbert Martins, mente e faz terror, quando diz a educação em Feira de Santana vai parar”, destacou.

Fernando Torres disse que o projeto para formar os conselhos chegou “atrasado”, já que mandaram no mês de abril, sendo que o prazo era março. “A Câmara Municipal não tem culpa, pois quem errou no prazo foi a prefeitura. Nosso grupo só vota o que é positivo para Feira de Santana”, afirma Torres.

O vereador afirmou também que não houve diálogo sobre o assunto e avaliou o projeto como conturbado com intenções distintas do proposto pela gestão.

“A educação tem R$ 240 milhões dos precatórios em caixa, portanto não precisa solicitar qualquer empréstimo. Ele precisa decidir o destino desse valor na educação”. O projeto, segundo Torrees, poderia vir a endividar o município no valor que ultrapassaria os R$ 30 milhões. “Tomei conhecimento que os empréstimos iriam servir ainda para financiar o BRT da cidade, que contemplam obras que se perduram há anos, e por isso derrubamos”, acrescentou o vereador.

Chantagem

Torres reiterou que Colbert estaria fazendo “chantagem” com os vereadores que votam contrários a projetos de interesse do Poder Executivo, e com isso demitir pessoas que tiveram indicações dos edis para cargos na gestão municipal.

“A chantagem é um dos sérios crimes que um gestor pode cometer. Colbert persegue estes vereadores, mas mantém familiares na atual administração, finalizou Torres.

Atarde

Veja também: