Cruz das Almas: Durante Operação Acidente Zero, PRF prende motociclista embriagado e sem capacete na BR 101

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Na noite deste domingo (15), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou um motociclista transitando alcoolizado durante fiscalização da Operação Acidente Zero. A ação ocorreu por volta das 18h30, quando os policiais fiscalizavam o KM 222 da BR 101, trecho do município baiano de Cruz das Almas.

Ao visualizarem o condutor de uma motocicleta HONDA/Cg 125 Fan, que estava sem capacete, adentrar em um posto de combustível, os PRFs iniciaram a abordagem.

Ao se aproximar do motociclista, a equipe percebeu um forte odor de bebida alcoólica, bem como dificuldade no equilíbrio, olhos vermelhos, sinais visíveis que encontrava-se sob efeito de álcool. Os policiais também descobriram que ele era inabilitado.

Aos policiais ele confirmou ter ingerido cerveja e destilados com amigos, mas se recusou a realizar o teste com o etilômetro e foi lavrado um laudo de constatação de embriaguez.

O condutor apresentou descontentamento com a ação policial e de forma agressiva resistiu a prisão e mesmo após ter sido dada voz de prisão em flagrante delito, o homem tentou fugir e proferiu palavras ofensivas, sendo necessário o uso de algemas para contê-lo.

Diante do cenário, o homem foi preso em fragrante pelos crimes, em tese, de embriaguez na direção de veículo automotor, previsto no art. 306 da Lei nº 9.503/97 – CTB e mais o art. 330 (desacato), previsto no Código Penal. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Cruz das Almas (BA) e apresentado à autoridade policial de plantão.

Além de detenção por crime de trânsito, a multa por alcoolemia custa R$ 2.934,70, valor que é duplicado em caso de reincidência. Ademais, ocorre a penalidade administrativa que suspende ou proíbe o motorista de obter a habilitação ou permissão para dirigir veículo automotor por um período de 12 meses.

A PRF alerta sobre as consequências da combinação de álcool e direção e atua no policiamento ostensivo e preventivo, sendo priorizada a fiscalização de condutas de risco como ultrapassagens proibidas, alcoolemia ao dirigir, dentre outras, com foco na redução de acidentes.

Veja também: