Cruz das Almas: Justiça quer barrar guerra de espadas durante o período junino

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Os promotores de Justiça André Lavigne, coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal (Caocrim), Luis Alberto Pereira, coordenador do Centro de Apoio Operacional de Segurança Pública e Defesa Social (Ceosp) e Adriano Marques, que atua na comarca de Cruz das Almas, estiveram reunidos nessa quarta-feira (16) com o comandante geral da Polícia Militar do Estado da Bahia, coronel Paulo José Reis de Azevedo Coutinho, para discutir estratégias de atuação conjunta contra a prática de guerra de espadas no Município. Na ocasião, ficou decidido que haverá um incremento do efetivo da Polícia Militar na região durante o São João e o São Pedro, intensificação das rondas e ações da polícia ostensiva, especialmente em locais onde a guerra de espadas se realiza na cidade. Os participantes ressaltaram a importância da atuação conjunta entre as instituições para coibir esse tipo de crime, cuja pena pode chegar a até seis anos de prisão. “Sob o manto da tradição, a prática de guerra de espadas ceifa a vida de pessoas, causa lesões e inúmeros danos aos patrimônios público e privado”, destacou o promotor de Justiça André Lavigne.

Veja também: