Em reuniões APLB defende continuidade do ensino remoto

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Em nota divulgada na segunda-feira (19) e enviada hoje (21) para nossa redação, a APLB-Sindicato informa que deliberou pelo não retorno às aulas presenciais. A decisão veio após uma reunião realizada de modo virtual, no dia 16 de julho, com profissionais da rede estadual e municipal de Educação.

Outra reunião, no âmbito municipal, foi realizada na segunda-feira (19), na Câmara Municipal de Vereadores, com diretores, vice-diretores e coordenadores pedagógicos para discutir convocações às atividades presenciais, autonomia na gestão escolar e eleições do colegiado, direitos democráticos assegurados pelo sindicato.

Um dos pontos discutidos também, foi o Termo de Responsabilidade. Um documento que os pais assinam se responsabilizando pela frequência, riscos de contágio e qualquer problemática caso o aluno apresente sintomas de COVID-19 no retorno às aulas presenciais.

“Não somos contra que os pais levem seu filho a escola, até porque a escola tem uma função social, mas a nossa luta é pelas condições de trabalho nas unidades de ensino, pois até que ponto elas estão adequadas para o retorno? Lutamos por condições mínimas de trabalho. Se não resolver agora vai resolver quando?”, disse Augusto.

“O problema é que o município sequer viabilizou uma plataforma de ambiente virtual para alunos e professores, e a nova composição do Conselho Municipal de Educação se eximiu de seu protagonismo, tanto na exigência por um ensino remoto de qualidade, quanto ao retorno presencial em conformidade com a Vigilância Sanitária”, concluiu.

Veja também: