Exportação de frutas baianas cresce 37% e supera a marca de R$ 1 bi

Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
LinkedIn

De janeiro a novembro de 2023, os produtores baianos registraram um aumento significativo nas exportações de frutas, alcançando 170 mil toneladas e gerando um fluxo financeiro de R$ 1,05 bilhão, com um incremento de 37% comparado ao mesmo período em 2022. Destaque para as produções de manga e uva. Além dessas, houve crescimento no embarque de frutas como abacaxi, damasco, figo, goiaba, mamão, melancia, limão e lima, de acordo com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Agrostat/Mapa).

A Abrafrutas (Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados) sinaliza que os governos estadual e federal, e entidades representativas do setor, têm feito ultimamente um trabalho muito focado em abertura de novos mercados para as frutas brasileiras, para o aumento da diversificação dos destinos. De acordo com o presidente, Guilherme Coelho, o principal fator que impulsionou a exportação foi o preço do setor em 2023, principalmente para os produtores do Nordeste, que se beneficiaram.

“Para a uva, nos onze meses do ano, foram exportadas cerca de 62,3 mil toneladas, um aumento de 44% em relação ao mesmo período de 2022. Em termos dos valores, em novembro de 2023 foram cerca de 60,8 milhões de dólares (US$). Já em mangas, foram exportadas cerca de 266 mil toneladas, um aumento de 15,01% em relação ao mesmo período de 2022. Contudo, ficou 2,37% abaixo do recorde histórico de 2021. Em termos dos valores das exportações, em dezembro foram US$ 37,8 milhões”, afirma o presidente da Abrafrutas.

Veja também: